Você está aqui

Análise crítica da Pegada Hídrica Cinza na produção de celulose

Apesar do uso do método da Pegada Hídrica (PH) como uma ferramenta de gestão pelo setor privado, poucos são os estudos publicados que consideram as três frações do método no seu cálculo: Pegada Hídrica Azul - PHazul, Pegada Hídrica Verde - PHverde e Pegada Hídrica Cinza – PHcinza.                                            

No caso específico da celulose, a PHcinza não foi considerada no único artigo publicado devido a dificuldade de acesso aos dados referentes a composição dos efluentes gerados no processos produtivo e à qualidade dos corpos de água em seu estado natural. Nesse contexto, o objetivo deste artigo é analisar a contribuição da fração da PHcinza do processo industrial no valor total da PH da celulose e suas consequências sobre ações para diminuir o impacto ambiental deste processo produtivo sobre os corpos hídricos.

Os dados foram produzidos a partir de uma indústria hipotética localizada na bacia hidrográfica do Rio Paraíba do Sul, Brasil. Os poluentes analisados foram o cloreto total, fósforo total e fenol, todos característicos da produção de celulose e presentes na legislação dos três principais países produtores.

Os resultados demonstraram que a PHcinza do processo industrial pode responder a até 55% do valor total da PH da celulose. Além disso, os resultados apresentaram elevada variação em função dos parâmetros ambientais e do poluente de referência. Por fim, a redução dos valores da PHcinza não deve ser considerada por si só, como um fim, isolada do contexto ambiental e político onde a produção de bens está inserida.

Para acessar o artigo completo, acesse o site da revista Ambiente & Água.