Você está aqui

Projetos

BLUEGRASS - A invenção do ouro azul: das mobilizações de base pela água até a internacionalização das políticas, umas análise multinível

Em andamento

A água é o recurso mais cobiçado de hoje e do amanhã. Os observadores concordam que os conflitos ambientais em torno da gestão da água tendem a endurecer e implicam riscos pela estabilidade social e política das cidades superpovoadas, tanto no Sul quanto no Norte. Nas tendências preocupantes incluem-se recorrentes secas e inundações, uma crescente volatilidade na disponibilidade do recurso, o derretimento das geleiras, e a contaminação devido à poluição industrial, a agricultura intensiva e à falta de saneamento adequado. O projeto BLUEGRASS procura entender melhor a lógica da evolução de conflitos pela água em um contexto de novos desafios ambientais. Ele o fará, em particular, através da análise da exportação do "modelo francês" em suas duas dimensões básicas (ou seja, um foco na gestão a nível das bacias hidrográficas, e a promoção do setor privado a fim de lidar com desafios ambientais) nas Américas. A pesquisa se focará na maneira em que os problemas ambientais são socialmente percebidos e construídos, mas também estrategicamente apropriados por uma ampla gama de atores.Os estudos de caso incluirão cidades e seus arredores rurais no Oeste dos Estados Unidos, México, Colômbia, Bolívia e Brasil. Este projeto comparativo procura destacar a interação entre várias coligações multi-nível, pela análise da fabricação de um modelo global, das diferentes reações nacionais a esse modelo, e dos conflitos pela água no nível local.. 

Financiamento: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e Agence Nationale de la Recherche (ANR)  

Políticas Públicas Ambientais e Mudanças Climáticas (2010-2014)

Políticas Públicas e Impactos Regionais e Locais das Mudanças Climáticas sobre Áreas Frágeis - Em andamento

A cooperação da Universidade de São Paulo com a Universidade de Rennes 2 é antiga. Com o Laboratório COSTEL já tem um tempo de maturação, tendo iniciado com o Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, e, posteriormente, com a Escola de Artes, Ciências e Humanidades – EACH, por meio de convênio de intercâmbio acadêmico assinado em 2008.

O Convenio beneficiou-se do ano da França no Brasil para reforçar as relações universitárias entre os dois estabelecimentos bem como estimular o intercâmbios de pesquisadores, professores e estudantes franceses e brasileiros. Em 2009 o projeto aprovado pelos Comitês brasileiro e frances para a realização de uma viagem de estudos dirigida aos pesquisadores, professores e estudantes de graduação e pós-graduação de Geografia e de Gestão Ambiental, inscritos regularmente em um dos dois estabelecimentos.

O tema central desta proposta refere-se à adaptação - por meio de políticas públicas ambientais - dos fatores de desequilíbrio socioeconômico e ambientais relacionados aos efeitos das mudanças climáticas em áreas ecologicamente frágeis.

O desdobramento das numerosas interrogações sobre as mudanças climáticas provocam uma multiplicidade de outras questões sobre o funcionamento dos geossistemas nas escalas locais. Uma mudança global do clima trará obrigatoriamente repercussões sobre o clima local e sobre o Homem.

 

Gestão Compartilhada de Recursos Naturais (2011-2014)

The capacity of civil society organisations (CSOs) and their networks in community based environmental management - Concluído

O CiVi.net tem como objetivo identificar comunidades que apresentam soluções bem sucedidas para o manejo e administração de seus recursos naturais, analisar estas soluções e investigar a possibilidade de transferi-las para outras comunidades que apresentem os mesmos desafios em relação aos seus recursos naturais. E com isso, discutir sobre o potencial da prática de transferência de modelos de organização e administração, de uma comunidade que é o “estudo de caso original” para outra, que é o “estudo de caso de transferência, e quais são os limites e estratégias desta manobra.

Este projeto foi iniciado em novembro de 2011 com uma reunião realizada em Berlim na Alemanha, tendo como prazo final 2014 (36 meses). Fazem parte deste projeto a ETH - Swiss Federal Institute of Technology Zurich, a Neotropica Foundation da Costa Rica, a UNICAMP e a USP, através da FUNDAG, o Instituto Ecológica de Palmas (Br), IDC - Foundation for Sustainable Development da Holanda, a IDC - Organisation for International Dialogue & Conflict Management, sendo coordenado pelo ZALF - Leibniz-Centre for Agricultural Landscape Research da Alemanha.

Financiamento: Comunidade Européia

 

Pegada Hídrica (2010-2013)

Concluído

Esse projeto é parte das atividades da linha de pesquisa em Pegada Hídrica que vem sendo desenvolvida pelo grupo GovÁgua vinculado ao GovAmb/PROCAM/IEE/USP. Por meio da elaboração da Pegada Hídrica da celulose também serão propostas melhorias e adequações na metodologia inicialmente utilizada, além da ampliação da visibilidade da técnica como referência e instrumento para a gestão das águas. Tal projeto contribuirá para o desenvolvimento intelectual de profissionais recém formados, fomentando assim a formação acadêmica de tais profissionais e a qualificação de mão de obra especializada sobre o tema no país.

Os estudos sobre pegada hídrica são realizados em três unidades da FIBRIA produtoras de celulose: unidade Jacareí (SP), Aracruz (ES) e Três Lagoas (MS).
A equipe de trabalho é formada por professores, pesquisadores, colaboradores e alunos do Grupo de Pesquisa GovÁgua do Programa de Pós Graduação em Ciência Ambiental da Universidade de São Paulo (USP) e de professores e alunos do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

 

Ciência e Governança (2010-2013)

Aprendizagem Social e sua aplicação nas relações entre Ciência e a Governança Ambiental: 4 Estudos de caso no Estado de São Paulo - Concluído

O tema de pesquisa é a articulação entre a gestão do conhecimento e os processos de aprendizagem. Analisa as interações entre produção científica e governança ambiental, tendo a questão da água como seu elemento articulador e integrador e terá como estudos de caso quatro áreas de proteção ambiental relacionadas com Governança da Água. O projeto de pesquisa pretende contribuir para melhorar as relações entre as instituições acadêmicas e diferentes instâncias e órgãos de gestão ambiental. Busca facilitar o entendimento das formas de transferência e apropriação do conhecimento científico nas Plataformas multi-atores, tendo em vista tornar mais acessíveis a informação e a utilização de ferramentas que facilitam a negociação, em instâncias de decisão de políticas públicas preocupadas com a governança ambiental. As perguntas que orientam o desenvolvimento da pesquisa podem ser assim formuladas:

  • Qual é a dinâmica atual de aprendizagem social ligada à governança ambiental?
  • Quais os determinantes de diferentes processos de aprendizagem social estimulados e promovidos por instituição acadêmica associados à governança ambiental, que fatores os condicionam?
  • É possível aperfeiçoar os processos de aprendizagem social associados à governança ambiental e de quais instrumentos e ferramentas dispõe a universidade para seu avanço?

Financiamento: Conselho Nacional de Desenvolvimento de Pesquisa e Tecnologia (CNPq)

 

Políticas Públicas (2008-2011)

Diagnóstico Socioambiental, Aprendizagem Social e modelos multi-agentes na definição de políticas públicas para a gestão integrada dos recursos hídricos e uso e pcupação do solo Concluído

Diagnóstico socioambiental, aprendizagem social e modelos multi-agentes na definição de políticas públicas para a gestão integrada dos recursos hídricos e uso e ocupação do solo.
O tema da pesquisa foi a articulação entre as instâncias de gestão territorial e de gestão de recursos hídricos, no sentido de administrar, facilitar e integrar as ações necessárias a um planejamento sócio-econômico, territorial e ambiental de forma participativa.
Trabalhou-se na linha da integração de políticas públicas, para a gestão dos recursos hídricos, reunindo órgãos executivos em níveis municipal e estadual que conciliam a gestão do uso do solo com a gestão dos recursos hídricos. As parcerias buscaram contribuir com o desenvolvimento de metodologias sociais inovadoras e ferramentas para auxiliar na formulação de políticas públicas integradoras dos recursos hídricos e de uso e ocupação do solo em três contextos de dois municípios da Região Metropolitana de São Paulo.

Material produzido: Aprendizado Social: diálogos e ferramentas participativas: aprender juntos para cuidar da água

Financiamento: Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)

 

Governança e Aprendizagem Social (2007-2010)

Aprendizagem social na gestão compartilhada de recursos hídricos em três bacias hidrográficas no Estado de São Paulo: desafios e oportunidades para a cooperação em plataformas multi-atores Concluído

Aprendizagem social na gestão compartilhada de recursos hídricos em três bacias hidrográficas no Estado de São Paulo: desafios e oportunidades para a cooperação em plataformas multi-atores. O projeto de pesquisa pretendeu contribuir para melhorar a gestão compartilhada de recursos hídricos através do fortalecimento de espaços de aprendizagem social em plataformas multi-agentes por meio da aplicação de metodologias inovadoras em três bacias hidrográficas no Estado de São Paulo. As perguntas que orientam o desenvolvimento da pesquisa foram:

  • Quais são os critérios que definem o êxito (ou o fracasso) de processos de aprendizagem social associados à governança dos recursos hídricos e que fatores os condicionam?
  • É possível acelerar os processos de aprendizagem social associados à governança da água? Quais são os instrumentos e ferramentas mais apropriados para isso?

A hipótese que deriva das perguntas é que a aplicação de metodologias inovadoras baseadas em aprendizagem social contribui para estimular a cooperação entre os atores envolvidos e harmonizar processos de gestão compartilhada no marco das transformações requeridas para a governança dos recursos hídricos.
Sistematizou, analisou e comparou os processos de gestão de recursos hídricos em 3 bacias hidrográficas: Alto Tietê, PCJ e Médio Tietê. 

Identificou os principais condicionantes do êxito/fracasso na gestão compartilhada dos recursos hídricos no Estado de São Paulo e avaliou comparativamente os impactos e resultados das diferentes ferramentas e instrumentos metodológicos de gestão utilizados em 3 bacias hidrográficas no Estado de São Paulo.

Financiamento: Conselho Nacional de Desenvolvimento de Pesquisa e Tecnologia (CNPq)

 

Governança da Água (2005-2008)

Projeto Alfa - Concluído

O projeto constituiu uma rede acadêmica sobre governança ambiental com ênfase na gestão de bacias periurbanas em metrópoles na América Latina a partir de estudos sobre as dinâmicas: sócio-econômicas, ambientais, territoriais e institucionais, que permitiram a formulação de novas ferramentas utilizadas nas negociações e que facilitam a participação social.
A rede tem por finalidade entender o funcionamento das bacias hidrográficas, para ampliar a capacidade da gestão através de uma visão integrada e interdisciplinar.
O projeto buscou aprofundar e compartilhar os diversos conhecimentos das ciências numa visão interdisciplinar para desenvolver estudos e ferramentas conceituais a partir das experiências concretas de diversos países. Os resultados dos projetos foram sistematizados em três publicações sobre Governança da Água na América Latina e Europa.

Financiamento: Projeto Alfa da Comunidade Européia