Você está aqui

Notícias

A atividade econômica pode e deve ser orientada pela sociedade, e outros 3 princípios

“… A “prima-dona” da economia deixa de ser o automóvel em prol do transporte coletivo.”

Princípios macroeconômicos – parte 1.

O post de hoje e o próximo são dedicados ao detalhamento dos princípios de uma teoria macroeconômica de transição para a Nova Economia

relacionados na última 4ª feira.

 

Vamos então ao detalhamento dos 4 primeiros daqueles princípios:

2ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental será realizada em 18 cidades paulistas

De 01 de outubro a 03 de novembro, a 2ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental volta à capital paulista e se expande para outras regiões do Estado. Em parceria com o SESC, a Mostra vem agora em novo formato e atinge 18 cidades. Ao todo, serão exibidos 25 filmes de diversos países, abordando temáticas variadas sobre água, cidades, contaminação, economia, globalização, mobilização, e povos e lugares.

Morre a geógrafa Bertha Becker, a cientista da Amazônia

Faleceu hoje (13/7/2013) em seu apartamento de Copacabana, no Rio de Janeiro, aos 83 anos, a geógrafa Bertha Koiffmann Becker, uma das mais destacadas cientistas brasileiras. Membro da Academia Brasileira de Ciência, professora emérita da Universidade Federal de Rio de Janeiro e agraciada com doutorado honoris causa e outras homenagens em muitos dos principais centros acadêmicos do mundo, Bertha

Becker é referência por seus aprofundados estudos sobre Amazônia, com inúmeros livros e publicações.

Lançamento Livro: Novos Paradigmas, Redes Sociais e Desafios para a Governança Ambiental

Ao falarmos de Governança Ambiental nos referimos a um conceito que transcende um simples conjunto de formatos de gestão. Podemos desdobrá-la em sua dimensão instrumental, sua dimensçao de compartilhamento baseado na participação ampliada em todos os processos o que demanda o envolvimebto ativo de todos as partes interessadas (stakeholders) em agendas pautadas pela busca de cooperação e

consenso. 

Lançamento Livro: Aprendizagem Social e Unidades de Conservação

A participação social na gestão de Áreas de Proteção Ambiental (APAs) trouxe grandes avanços e desafios, dentre os quais se destaca promover a aproximação dos atores, seu envolvimen-to e reconhecimento no processo de gestão. É necessária a troca de saberes, experiências e a interação entre os diversos setores sociais e governamentais, construindo novos entendimentos e acordos por meio de

processos colaborativos e de aprendizagem social, que possam gerar mudanças de comportamento e atitudes.

Aberto Processo Seletivo: Mestrado Profissional Ambiente, Saúde e Sustentabilidade - FSP/USP

Esta aberto o processo de seleção para o Mestrado Profissional em Ambiente, Saúde e Sustentabilidade da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da Universidade de São Paulo (USP).

O Programa conta com a colaboração dos pesquisadores do Grupo de Pesquisa em Governança Ambiental.

As inscrições vão até o dia 30 de agosto de 2013. 

Maiores informações Clique Aqui

Projeto Reflora deve contar com mais de um milhão de espécies catalogadas

Pelo menos 1.1 milhão de amostras de plantas brasileiras devem ser disponibilizadas pelo Herbário Virtual do Projeto Reflora. Este é o principal resultado parcial apresentado durante evento denominado “Resgate Histórico e Herbário Virtual para o Conhecimento e Conservação da Flora Brasileira”, realizado no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), entre os dias 15 e 17 de maio. O

Sustentabilidade agrícola requer abordagem sistêmica

A agricultura sustentável é um conceito mais complexo do que parece à primeira vista. Se o princípio não for bem compreendido, implementado com uma abordagem sistêmica e gerenciado na escala correta, pode até agravar os impactos ambientais das atividades agrícolas, em vez de reduzi-los. O alerta foi feito pelo cientista britânico Tim Benton, coordenador do Programa de Segurança Alimentar Global da Universidade de

Desenvolvimento sustentável requer transformação também na ciência

Depois de concluir que é preciso reinaugurar a relação entre a ciência e a sociedade para viabilizar as ações necessárias para a sustentabilidade global, a comunidade científica internacional se deu conta de que já foi dado o primeiro passo nessa direção. A ciência para a sustentabilidade, um novo paradigma do conhecimento, já está sendo construída, segundo Lidia Brito, diretora da divisão de Políticas Científicas

 da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Páginas